Henriques’ SLK (Super Low Kick)

Já que a onda é ensinar dicas e truques, vamos ver como acrescentar uma componente supergrave no kick com a afinação que a gente quiser, e de quebra vamos aprender o que é e como usar o Ring Modulator.

O Que É Um Ring Modulator

O RM é um multiplicador de duas frequências, uma chamada portadora e a outra a frequência modulante. O circuito é basicamente assim:

A gente entra com a portadora (carrier) e com o sinal modulante (a nossa música, por exemplo) e o resultado é um sinal DSBSC (modulação em amplitude com bandas laterais duplas e portadora suprimida)

Por exemplo, a gente entra com o nosso sinal em (A) e a portadora em (B)

https://wiki.analog.com/_detail/university/courses/electronics/drm_f4.png?id=university%3Acourses%3Aelectronics%3Aelectronics_lab_diode_ring_modulator

E o sinal de saída é :

O que isso significa na prática

O detalhe dessa modulação é que na saída:

  • Tanto a portadora quanto o sinal modulante desaparecem
  • Aparecem a soma e a diferença das frequências (sidebands)

Além disso, na prática surgem componentes harmônicas importantes advindas da distorção, acrescentada propositalmente ou não pelo plug-in/pedal.

Os efeitos resultantes do uso musical de um RM são bem radicais, por isso seu uso não muito comum. O problema é que geralmente a frequência da portadora é constante, não guardando relação harmônica com o sinal modulante – dissonâncias à vista.

Como fazer o SLK

Suponhamos que nós temos um kick com a afinação muito alta, e queremos acrescentar uma componente grave a ele. Equalização não rola, porque a frequência que a gente quer não está lá.

OBS: Existem alguns plugins que sintetizam os graves, como o Submarine, e outros que usam graves psicoacústicos como o RBass, ambos da Waves, mas vamos evitar esses dois casos e partir pra algo diferente.

Em nosso truque, vamos passar o kick original por um Ring Modulator, explorando o fato de que vamos obter o sinal de soma e diferença das frequências, e aí vamos jogar fora todas as componentes da soma e acima, e vamos ficar só com a diferença. Por último, somamos o som original.

O problema das dissonâncias não aparece porque é um elemento percussivo de nota constante.

O Passo-a-Passo

  1. Duplique o canal do kick e mute a cópia;
  2. Usando um analisador de espectro, ache a fundamental do kick (por exemplo, 150Hz);
  3. Escolha uma frequência para o grave do kick (por exemplo, 55Hz).
  4. Inserte um Ring Modulator nesse canal original;
  5. Ajuste a frequência da portadora do RM : Se quero 55, ajusto o RM para 55+150 = 205Hz
  6. Agora vc vai ter a soma e diferença: 55 , 355 e os harmônicos;
  7. Inserte um filtro passa-baixas entre as duas frequências.
  8. Agora vc tem um kick apenas em 55 Hz;
  9. Desmute a cópia e vc pode dosar quanto desse grave quer somar ao som original

Complicado falando, mas fácil quando vemos em vídeo o processo:

HSLK

A vantagem desse processo é que podemos escolher a frequência exata do grave do kick que desejamos, bastando variar a frequência da portadora (carrier) do RM.

Deixe uma resposta